calendário

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Finanças e Tesouraria.Mais um mau exemplo de serviço público no Corvo.

Desde que me lembro, as Finanças e a Tesouraria sempre funcionaram no mesmo edifício, com um tesoureiro e dois funcionários das Finanças.
  À uns anos o Tesoureiro foi transferido para outra ilha do Arquipélago.Devido a este facto os outros dois funcionários passaram a acumular todo o serviço.
  Entretanto, em Outubro de 2006 um foi eleito deputado regional e o serviço manteve-se agora já com um só funcionário.Como um azar nunca vem só, pouco tempo depois o último "resistente" passou à reforma.
  Perante esta situação, as Finanças tinham que arranjar uma solução e e efectivamente fizeram-no .Simples: deslocava-se um funcionário da Horta durante quinze dias, nos quais a Repartição se encontra aberta e nos outros quinze está encerrada!!!
  Sei que parece mentira, mas garanto-vos que é a mais pura da verdade.
  Nós, os corvinos somos poucos, mas somos açorianos e portugueses.
  Pagámos os nossos impostos(se entretanto o funcionário estiver cá).
  Somos dignos e exigimos que nos tratem como tal.
  Somos humildes, mas não somos idiotas.
  Sentimos-nos abandonados, mas continuamos firmes.
  Somos assim e vamos continuar a sê-lo.
  Somos corvinos e com muito orgulho!!!

4 comentários:

  1. Parabéns pelo seu blog. Congratulo-me por tudo o que seja divulgar as nossas duas ilhas (Flores e Corvo). A Faja Grande, nos anos 50, também está representada num blog:
    http://picodavigia.blogs.iol.pt/
    Que apareçam mais!
    C.F

    ResponderEliminar
  2. Muito bem... É preciso fazer ver a quem de direito estas situações. Partilha imediata no FB. Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Fernando;
    Hoje, através dos dias inspirados que te invade, este, trouxe-te a superfice das letras. As lindas palavras e frases que aplicaste, no artigo acima, devagarinho,revelas os teus talentos e conhecimentos literários

    Bravo!..Não sendo teu pai,irmão, nem tão pouco parente,filho do Corvo, mas sim, mais um virtual conhecido teu, senti-mo orgulhoso de te ler. São destes tipos de textos que me delicío a debulhar a leitura. Talvez, por nos conhecer-mos já de há dias, e pertencer ao mesmo grupo de ilhas, psicologicamente me uno mais a ti, ao Corvo e suas gentes. Um terno abraço meu, amigo!..
    DCA)Denis Correia Almeida

    ResponderEliminar
  4. Obrigado Denis, mas olhe que não tenho talento para a escrita.Abraço para o Canadá.

    ResponderEliminar