calendário

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Polémica no Corvo entre a Diocese dos Açores e os Escuteiros.

A Diocese de Angra admite que possam existir deficuldades de comunicação. Afirma que ofereceu outros dois locais, mas que foram recusados. E lamentam o abaixo assinado que corre agora no Corvo


A Diocese de Angra admite que possa existir algum problema de comunicação neste processo, mas garante que não falta e nem faltou apoio aos escuteiros da ilha do Corvo.

Adriano Borges, Ecónomo da Diocese, confirma que o imóvel foi emprestado para sede. mas as dificuldades atuais e uma boa proposta financeira para a compra da casa alteraram o rumo dos acontecimentos.

A Diocese e a paróquia afirmam que deram ao agrupamento dos escuteiros do Corvo duas alternativas para sede, mas ambas foram recusadas.

O Ecónomo da Diocese lamenta a situação agora gerada com o abaixo-assinado que corre no Corvo.

Reafirma que a igreja católica dos Açores continua a disponibilizar dois espaços para a sede dos escuteiros no Corvo, se a direção quiser.

                                                                                                                            in "RDP/A".

10 comentários:

  1. Já foi respondido á letra :)

    ResponderEliminar
  2. Com todo o respeito à Diocese de Angra, como podem existir dificuldades de comunicação se esta nem existiu daí o abaixo assinado muito justo, se for a unica forma da população ser ouvida venha daí o abaixo assinado? Não se percebe como numa ilha tão pequena a comunicação não funcione, será que não seria mais justo abrirem um inquérito para apurar como foram realmente conduzidas as coisas? As pessoas tem que começar a agir dentro da Lei e com transparência seja no Corvo, seja noutro sitio qualquer do mundo seja o Padre da Paróquia seja o Presidente da Republica...
    Os Escuteiros tinham o direito de ser os primeiros a ser informados uma vez que eram eles que davam a manutenção ao local provávelmente se não realizassem os trabalhos de limpesa e manutenção ao local este não estaria em condições de venda, acho que foi uma falta de respeito de quem conduziu as negociações. Quanto aos locais que ofereceram serão os mais indicados para a realização de actividades que os escuteiros realizam? Que fique bem claro que ninguém está de má vontade apenas indignados com tudo o que foi feito e da forma que foi feito. Tudo bem que as dificuldades existam, todos sabemos que não está fácil mas as coisas não precisam ser feitas sem transparência, podem ser feitas com o conhecimento da população até podia ser que aparecessem outras ofertas mais interessantes para o local, normalmente quando existe concorrência os valores sobem e se isto tudo foi porque a Igreja precisa de dinheiro quanto mais engariasse melhor seria por isso não se percebe porque é que as coisas foram feitas quase em segredo parece de certa forma que para favorecer uns se prejudicou outros neste caso os escuteiros que são uma entidade que ainda funciona bastante bem no Corvo porquê dar cabo do que o Corvo tem de bom.

    ResponderEliminar
  3. Mas será que ninguêm sabe que a casa está à venda desde 2005? Mas será que já ouviram a versão do Padre sobre todo o processo? Para se formular uma opinião é preciso ouvir as 2 partes e pelo que consta os escuteiros sabiam que havia uma proposta concreta para a aquisição da casa, se calhar nunca deram foi a devida importância! E depois dizer que a venda da casa vai acabar com os escuteiros no Corvo? Se eles estão bem e recomendam-se não será isto que fará com que terminem. O que me parece é que os pilares já não estavam muito seguros e agora bastará um tremor de terra pequeno para vir tudo abaixo..Força aí

    ResponderEliminar
  4. Respeitar a opinião alheia é uma virtude... Toda a gente tem direito à sua opinião, os julgamentos cabem ás pessoas que estão directamente envolvidas e sofreram as consequências, aos os escuteiros neste caso. Não tenhho mais nada a acrescentar já disse tudo o que tinha para dizer

    ResponderEliminar
  5. Virtude com letra grande. O problema é que no Corvo toda a gente julga, toda a gente sabe mais que os outros, e toda a gente é melhor que os outros! E as pessoas descem de tal maneira que até vão confrontar a mãe do homem sobre esta história. Enfim..o Corvo no seu melhor!!

    ResponderEliminar
  6. Porque será que pessoas que não têm nada a ver com o assunto estão sempre a meter o nariz? Os escuteiros no Corvo pelo que vejo não fazem nada,este ano nem nas festas religiosas apareceram,nem na beach party,sabem porquê?Porque ninguém quer trabalhar,nao querem fazer nada e é do conhecimento geral que desde que saiu uma chefe há algum tempo,estavam doidos para fazerem os escuteiros ir ao ar,só que não tinham um bom motivo e agora ele apareceu.A casa da Diocese está à venda há alguns anos. Porque os escuteiros não a compraram, nem se preocuparam em recuperá-la?? Não era preciso,não aparecia compradores,eles não se preocupavam porque sabiam que não tinham de sair.Por que é que o nosso presidente da câmara, tão ilustre pessoa e tão competente que é, não disponibiliza um lugar para eles? Será que as chefes dos escuteiros estão a dizer a verdade ao dizerem que não foram informadas da venda da casa? não me parece,estão a mentir e a usar esse argumento para pôr abaixo uma pessoa que sempre foi honesta e sempre serviu os escuteiros e a população do Corvo,uma pessoa que sempre se mostrou disponível para ajudar.Eu sei,as pessoas que estão por trás desta peixarada são pessoas que nunca fizeram nada na vida,não sabem fazer.O que fazem os escuteiros no Corvo??? Estão sempre a dizer que são uma mais valia,para quê? Quem? Não os vejo a fazer absolutamente nada,eles nem aparecem.Por amor de Deus,falem-me da LIXEIRA que é o Corvo,do piso que têm as nossas ruas,do lixo que derramam pela estrada ao transportá-lo e fica para lá,dos barracões que se fazem (sabe-se lá à custa de quem... ),da praia que é só lixo e não se limpa,etc..........Isso sim,são bons motivos para se falar!bjs

    ResponderEliminar
  7. Faço uma vénia ao comentador das 20:50 do dia 31 de Julho! Excelente!

    ResponderEliminar
  8. Eu so sei que o escuteiro nao deve ser aproveitador! E estao a aproveitar se de nossa senhora dos milagres... gostaria que pensassem no que estão a ensinar aos mais novos...Que quando a vida corre mal viramos as costas a quem nada tem a ver? Ou so faziam para serem elogiados? So se ouve criticas do festival dos moinhos, la por isso continuam forte, todos erram mas aproveitar se para justificar algo que ja estava mau desde algum tempo...

    ResponderEliminar
  9. Os verdadeiros escuteiros, aqueles que o são por gosto e levam o seu trabalho a peito, nunca se deixam derrubar. Que valores transmitem estes chefes aos seus jovens escuteiros com tanta mesquinhisse? Sera preciso descer tão baixo? Deixem-se de criticas e ponham mãos ao trabalho, se querem mostrar que realmente tem vontade de continuar e estão no vosso melhor!

    ResponderEliminar
  10. Espantoso o que se está a passar na nossa ilha ´que já foi considerada uma familia,isto em tempos que já lá vão.Tenham decência e respeito por quem devem.Armar uma guerra destas sem pés nem cabeça,e sem razão contra um jovem padre que vem cheio de boa vontade iniciar a sua vida paroquial nesta ilha dando o seu melhor e é tratado abaixo de cão?tá visto que ainda está por nascer o padre que agradará a todos,tal tristeza...Chamam a isto escutismo? E tem mais,com Nª Senhora não se brinca ,e estão a misturar" alhos com bugalhos"Enfim...é o Corvo de sempre...Só estão bem prejudicando o parceiro,LAMENTÁVEL.

    ResponderEliminar