calendário

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

O Outeiro

O outeiro sempre foi um dos locais mais místicos da Vila.E era-o por tudo e por nada...
   Foi aqui que os anciãos se impuseram mentores da ilha, da vida.Reuniam-se ao fim da tarde e por lá ficavam , por vezes em silêncios profundos, outras em risos contagiantes e outras ainda em acesas discussões.Falava-se de tudo, da guerra, da América, dos sonhos, dos medos, mas falava-se principalmente da Ilha.
   Decidiam os interesses, as necessidades, as carências e as reservas existentes.Faziam a justiça, a moral, a educação, a justiça e as partilhas e renuncias.
   Vestidos com as suas roupas de lã, pesadas, aconchegados uns aos outros e muitos apoiados nos seus cajaus era aqui que se sentia o pulsar da Vila e da Ilha.Era aqui que se discutia qual tinha o boi ou o porco maior.Era aqui que se ´comentava as notícias da guerra e era aqui que se sonhava com a América, com os dolares...
   Era aqui que durante o dia também as crianças brincavam, saltavam o muro da cooperativa.
   Era também aqui que as mulheres pousavam os cestos das couves e ponham a conversa em dia.
   Aqui tudo se decidia.
   Era também aqui que se realizavam todas as festas religiosas, desde S.Pedro a Nossa Senhora dos Milagres.
   Era aqui...
   Hoje é um lugar vago, triste e vazio...de gente, de alma e de espírito.
   Restam alguns sobreviventes que vão mantendo a tradição.
 
  

1 comentário: